logo
Economia e Negócios
     

23/05/2019
Cresce participação feminina no agronegócio

Dados são do IBGE e refletem realidade do Campo das Vertentes

Revista Vertentes Cultural traz matéria sobre fenômeno que tem mudado o mercado - Foto: Deividson Costa

Mais de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro vem de empreendimentos rurais. Ou seja: ¼ de toda a riqueza nacional está na terra. E junto com a força do agronegócio tem se consolidado, também, a presença feminina no setor. De acordo com o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), das mais de 15 milhões de pessoas que atuam no campo, 19% são mulheres.

Algo que vai ao encontro de dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). No ano passado, o grupo declarou que 2018 seria o Ano da Mulher Rural. E apontou que, no Brasil, 13% das atividades agropecuárias já eram realizadas por pessoas do sexo feminino. Números ainda tímidos, mas suficientes para sinalizar participação que triplicou nos últimos dez anos e chega, inclusive, à liderança dos empreendimentos rurais. De acordo com a Associação Brasileira de Marketing e Agronegócio (ABMRA), uma em cada três propriedades é comandada, hoje, por ELAS.

E tudo isso se reflete no Campo das Vertentes. A última edição do Gestão com Qualidade em Campo (GQC), por exemplo, contou com turma igualitária pela primeira vez na história, em Barbacena. Todos os anos, a iniciativa realizada em parceria do Sicoob Credivertentes com o Senar envolve 20 produtores em maratona de aulas e consultorias para desenvolvimento do agronegócio. Em 2018, mais mulheres decidiram se envolver na proposta e graduaram em agosto.

A Credi contou duas dessas histórias nas páginas da revista Vertentes Cultural, que você acessa gratuitamente clicando aqui.

WhatsApp Email LinkedIn Google+