logo
Credivertentes
     

06/09/2018
Festa do Café com Biscoito traz degustação gratuita com 6 toneladas de quitutes

Evento idealizado pelo Sicoob Credivertentes chega à 20ª edição e começa nesta quinta, 6

Foto: Deividson Costa

Sexta-Feira, 7 de Setembro – Dia da Independência para uns, primeiro “Dia de Fatura” na Festa do Café com Biscoito, em São Tiago, para outros. O evento, que em 2018 chega à 20ª edição, tem abertura já na noite desta quinta-feira, 6, prometendo atrair até o domingo nada menos que 60 mil pessoas (isso mesmo! Público seis vezes maior que a população da cidade!)

Mas é na sexta que a Praça Ministro Gabriel Passos começa a se transformar numa grande mesa de quitutes a céu aberto. Ou melhor: em uma degustação com 6 toneladas de delícias locais (além do café, claro!) distribuídas em 15 barracas. Haverá, ainda, a abertura de 13 estandes com artesanato e o melhor da agroindústria local. À noite, a banda Ira! sobe ao palco.     

O Sicoob Credivertentes é um dos protagonistas nessa história sobre empreendedorismo, desenvolvimento econômico, entretenimento e tradição. Há duas décadas, a cooperativa se juntou ao Sebrae para estruturar uma realização que funcionasse como vitrine do maior potencial são-tiaguense: a produção de delícias caseiras doces e salgadas com ingredientes tipicamente mineiros.

 

Agenda

Amanhã, 6, acontece a abertura oficial da festa a partir de 21h, seguida pelo show O Violeiro e o Tenor, estrelado por Chico Lobo e João di Souza. Já no feriadão, a partir de 9h, começa o Café com Biscoito na Praça. No mesmo horário, é aberta a Oficina dos Biscoitos Falantes, para a criançada.

A maratona de sabor e cultura se estende durante a tarde e à noite, quando o Ira! leva seu rock ‘n roll para o palco. No sábado e no domingo a jornada continua com programação completa que você confere abaixo:              

Organização

Mais de 60% da arrecadação em São Tiago gira em torno da produção de biscoitos em cem fábricas registradas e suas receitas que remontam a mais de 300 anos. Exatamente por tanta história, a organização de um dos principais eventos do Campo das Vertentes enaltece as raízes da tradição. “Já na chegada à praça, dois portais feitos com pau-a-pique rememoram aqueles que viviam em casas simples, construídas com esse material e guardando, ainda, um forno de barro. Foi ali que tudo começou”, explica o secretário municipal de Administração, Flúvio Martins.

Elisa Coelho, supervisora de Comunicação e Marketing do Sicoob Credivertentes, faz parte da Comissão Organizadora na festa e fala sobre a ansiedade pelo início da agenda especial. “Celebramos sabores, celebramos talentos, celebramos a história e acima de tudo os empreendedores que fizeram e fazem história. A nossa cooperativa tem muito orgulho de ter idealizado esse evento e de vê-lo com tamanho sucesso junto a uma comunidade tão forte e lutadora”.

 

Trajetória

A história do festival que aconteceu pela primeira vez em 1999 começou seis anos antes, em 1993. Na época, um consultor foi contratado pelo Sicoob Credivertentes para estudar, em campo, a viabilidade socioeconômica de empreendimentos em São Tiago. O diagnóstico de José Francisco Lobato, de Barbacena, não poderia ser outro: estava ali, na tradição e no sabor passados de pais para filhos, ao longo de séculos, um grande potencial para o futuro.

Em outras palavras, o investimento na fabricação de quitandas em maior escala, saltando da hospitalidade costumeira para produções comerciais, poderia transformar São Tiago. “Apresentamos os resultados em uma reunião no prédio da Câmara, com umas 90 pessoas. No encontro, lembro bem, o Lobato perguntou se definiríamos a comunidade como rica ou pobre. A grande maioria ficou com a segunda opção. E foi aí que ele acrescentou: ‘Se vocês se consideram pobres, são pobres sentados em potes de ouro. Vocês têm costumes riquíssimos de forno e fogão”, conta o presidente do Conselho de Administração da Credivertentes, João Pinto de Oliveira.

E completa: “Cresci ouvindo que uma dona de casa com fubá em casa e um pouquinho de leite é capaz de fazer milagres. Imagine, então, onde pode chegar uma comunidade inteira com todos esses ingredientes produzidos fartamente perto de casa”. Alguns são-tiaguenses já haviam percebido isso. Então começaram a apostar no mercado.

Um relato completo sobre todo esse enredo pode ser lido no livro comemorativo aos 30 anos da nossa cooperativa, disponível aqui.

WhatsApp Email LinkedIn Google+